Uma direcção. As horas a passar. O nascer-do-sol. Uma árvore frondosa. Um sorriso espontâneo. Uma janela aberta para ver o mundo girar.
Não só ver. Participar. Contribuir. Girar com ele. Porque o mundo não pára e a vida também não.

A direction. The sunrise over the ocean. A leafy tree. A spontaneous smile. An open window to see the world turning. Not just see.
To participate. To contribute. To turn in the same direction. Because the world keeps turning and so does life.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Às vezes vem às 6,

outras vezes vem às 6h30 e outras ainda perto das 7h. Não há horário certo para os comboios que passam por Ispra carregando mercadorias para e da Suíça. Muitas das pessoas que trabalham no JRC, como eu, precisam de passar pela linha de comboio para ir para casa. De vez em quando somos obrigados a esperar quase meia-hora porque o guarda da estação decide fechar a cancela 20 minutos antes do comboio vir (sabe-se lá porquê). Hoje foi um desses dias. Uma fila interminável de carros esperava pela cancela aberta e nós ciclistas, à chapa do sol, aglomerámo-nos mesmo em frente aos carris prontos a escapar logo que possível. Alguns perderam a paciência e passaram com a cancela fechada. Quando esta abriu, quase meia-hora e algumas asneiras depois, um enxame de veículos de duas rodas passou velozmente, tal a impaciência que nos atingia. Eu acho que o guarda gosta de se rir às gargalhadas com a nossa figura, especados em frente à cancela; é um teste à nossa paciência ou simplesmente para nos aborrecer, a nós estrangeiros coloridos que ocupamos grande parte da sua vila. Haja paciência, porque justificação para tanta demora não consigo encontrar.

1 comentário: