Uma direcção. As horas a passar. O nascer-do-sol. Uma árvore frondosa. Um sorriso espontâneo. Uma janela aberta para ver o mundo girar.
Não só ver. Participar. Contribuir. Girar com ele. Porque o mundo não pára e a vida também não.

A direction. The sunrise over the ocean. A leafy tree. A spontaneous smile. An open window to see the world turning. Not just see.
To participate. To contribute. To turn in the same direction. Because the world keeps turning and so does life.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Hoje

...a Mikas descobriu a Nutella. E claro que lambeu o beiço.

...eu descobri que se prolongar as vogais enquanto falo, posso abrandar o ritmo do meu discurso.

...apreciei um gelado mesmo com um frio de rachar. Não consigo resistir aos gelados italianos.

Momentos felinos

As três mulheres estão sentadas no sofá a ver um filme. Numa das pontas do sofá, Mikas, a gata da casa, olha as mulheres e pensa:

-"A minha dona está na outra ponta do sofá e apetece-me ir ter com ela."

Mikas levanta-se docemente, põe uma pata em cima da perna de uma das mulheres, a outra pata na outra perna e caminha orgulhosa por cima das visitas até chegar à dona. As visitas permanecem quietas e entreolham-se embasbacadas enquanto Mikas pensa:

-"Não quero saber se vocês não gostam de mim. Este é o meu território e eu passo por onde eu quiser".

Mikas dá as boas noites à dona e permanece 10 minutos enroscada ao lado dela. Depois, levanta-se calmamente e volta a fazer o mesmo circuito, por cima das visitas. Não há limites humanos no território de um gato.

domingo, 24 de abril de 2011

"Natale con i tuoi, Pascoa con qui vuoi"

Este ano escolhi diferente. Escolhi passar a Páscoa em Itália, sem nada programado. Normalmente vou para Portugal, apesar do custo exorbitante das viagens e de saber que vai ser um fim-de-semana de limpezas e de espera pelo padre que vem abençoar a casa dos meus pais. Mas estou com eles, com a minha família, com quem o tempo passa depressa, demasiado depressa.
Este ano escolhi não ir, por ter muito trabalho, pelo custo das viagens, por saber que vou daqui a pouco tempo. Mas principalmente porque esta será provavelmente a minha última Páscoa nesta parte de Itália. Porque não experimentar e cumprir a tradição italiana "Natal com a tua família, Páscoa com quem quiseres". E assim, sem grandes planos, tive Portugal comigo na mesma, através de amigos que passaram por aqui e com quem partilhei as últimas 2 semanas. Uma semana de sabor açoriano a recordar tempos da faculdade, alguns dias com a luz lisboeta a partilhar planos e sonhos futuros e passeios pelos lagos de margens floridas e uma longa e bela tarde com representantes Batalhenses a visitar Milão. Agora aproveito o sol italiano com vista sobre os Alpes enquanto a Mikas se rebola no terraço, esperando a chegada de outra amiga. Uma Páscoa diferente, longe das cerimónias e tradições do costume mas pertinho de pessoas que também me fazem feliz.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Chateia-me

a falta de diversidade das notícias portuguesas nos últimos tempos. Crise. Crise económica. Mais crise. Crise política. Bem sei que a crise é o que preocupa a maior parte dos portugueses, incluindo os que estão fora. Mas não há nada de novo para além dos jogos do empurra entre PS e PSD, um jogo político mesquinho que não traz benefício nenhum a Portugal. Pelo contrário. A atenção perde-se em esquemas de culpa e responsabilidade que se teima em não assumir. Nem os que estiveram no governo nos últimos 6 anos - e não, não acredito que a crise tenha começado apenas há um ano atrás, nem os da oposição que se estiveram a marimbar para os problemas reais do país e seguiram unicamente os seus preceitos políticos na tentativa de recuperar o poder. Senhores, já chega. Agarrem o pingo de vergonha na cara que espero que ainda tenham e façam aquilo para que vos elegem e vos pagam: levar Portugal a bom porto.
Sei que a minha voz de descontentamento não vos vai chegar aos ouvidos, mas pode ser que o ministro sueco, o militante descontente do PS e as críticas no facebook a Fernando Nobre dêem para abanar algumas consciências. Espero...

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Fica melhor assim ou assim?

Esta tarde recebi um mail com um link para um vídeo do youtube, onde mostrava o noticiário da TVI a fazer ligação em directo para o local onde José Sócrates iria dar o seu discurso sobre o pedido de ajuda externa (dia 6 de Abril). Ora parece que a ligação ocorreu alguns momentos antes do previsto e o nosso Primeiro estava ainda a preparar-se para a emissão... perguntando ao assessor como ficaria melhor, movendo a cara ligeiramente de um lado para o outro. Pormenores sem importância para os espectadores (ou talvez não, sei lá), mas aparentemente a não descurar na imagem de um político. Nem foi isso que me impressionou, sei bem que a imagem é medida ao milímetro em política. Foi o facto do link ter sido retirado do youtube sob alegados direitos de autor da TVI. Cheira-me a censura, pura e dura. Afinal, o Primeiro tem uma imagem a manter.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Afinal foram 70

e não 50, como pensava eu. Quilómetros, digo, de bicicleta, um destes fins-de-semana de sol. Descendo o rio Ticino no final harmonioso do lago Maggiore, pedalando ao lado dos canais que chegam até Milão (os Navigli) e que foram desenhados por Leonardo da Vinci para transportar as pedras que construíram o Duomo (a catedral de Milão). Agora percebo porque ganhei a tendinite no pé!