Uma direcção. As horas a passar. O nascer-do-sol. Uma árvore frondosa. Um sorriso espontâneo. Uma janela aberta para ver o mundo girar.
Não só ver. Participar. Contribuir. Girar com ele. Porque o mundo não pára e a vida também não.

A direction. The sunrise over the ocean. A leafy tree. A spontaneous smile. An open window to see the world turning. Not just see.
To participate. To contribute. To turn in the same direction. Because the world keeps turning and so does life.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Uma vida cheia

Saí da festa a flutuar, com a tranquilidade de saber que não estou sozinha no que sinto e no que vivo. A vida tem-me sido generosa, de facto. Tenho uma vida emocionante rodeada de pessoas fantásticas, incluindo as que estão fisicamente longe. Com algumas delas partilhamos um bocadinho mais de nós mesmos e depois... vemo-las partir sem saber quando as vamos reencontrar, mas com a certeza de que quando isso acontecer será uma alegria imensa para ambos. Pensava nisto enquanto me dirigia para o carro à saída da festa de despedida do italiano mais "figo" que conheço (tradução: bonito e simpático). Como ele tantos outros se preparam para partir, e eu não estou assim tão longe. No carro ouço "I wish you were here" dos Pink Floyd e vens-me automaticamente à cabeça; penso em como te enganaste a ler-me, como percebeste mal a minha forma de reagir e como escapaste quando te sentiste confuso em vez de estares comigo e dar-nos a possibilidade de pensarmos juntos. Vou cantarolando a música e reparo que já não sinto tanto a tua falta. Não quero sentir, porque tenho pessoas a ir embora com quem quero aproveitar estes doces momentos sem sentir a tua sombra.

Nos últimos dias tenho-me dedicado a actualizar o meu CV e a descrever em detalhe as minhas tarefas, responsabilidades e as minhas maiores realizações. É um trabalho habitualmente aborrecido, mas tem-me ajudado a relembrar todas as coisas que fiz, que aprendi e que vivi nos últimos anos. Demasiada informação para um potencial empregador, mas uma dádiva de confiança e harmonia para mim. Sim, tenho algumas histórias giras para contar, cada uma delas gravada na minha personalidade e talentos (skills, melhor dizendo). Esta combinação de eventos - a celebração do fim de uma experiência temporária mas intensa e a chatice necessária da procura de emprego - acabaram por me fazer voltar a acreditar que tenho, e continuarei a ter, uma vida fantástica, mesmo sem ti.

Sem comentários:

Enviar um comentário