Uma direcção. As horas a passar. O nascer-do-sol. Uma árvore frondosa. Um sorriso espontâneo. Uma janela aberta para ver o mundo girar.
Não só ver. Participar. Contribuir. Girar com ele. Porque o mundo não pára e a vida também não.

A direction. The sunrise over the ocean. A leafy tree. A spontaneous smile. An open window to see the world turning. Not just see.
To participate. To contribute. To turn in the same direction. Because the world keeps turning and so does life.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Histórias de vida dura

Chamemos-lhe Giovanni. Há algum tempo que vagueia pelas ruas de Milão e dorme na Estação Central de comboios, onde outros sem-abrigo se juntam. Não sabe explicar bem como foi ali parar, fala com inquietação da traição da mulher, do divórcio litigioso em que perdeu os dois apartamentos, da filha que anda supostamente pela estrada. É jardineiro de profissão mas na confusão da sua vida pessoal também perdeu o trabalho e com isso, o sustento. Ficou sozinho, miserável, mendigando pelas ruas de uma das cidades mais ricas da Europa do Sul. Perdeu a dignidade e a esperança e tenta suicidar-se diversas vezes, mas é salvo pela polícia.
Um dia, sem o conhecer pessoalmente, há alguém que se interessa pela sua vida, que acha que vale a pena tentar um pequeno gesto e envia um email aos seus contactos a dizer que um jardineiro andava à procura de trabalho. Palavra puxa palavra e sabe-se então que uma empresa de viveiros andava mesmo a precisar de mais um par de mãos. Giovanni é chamado e começa a recuperar a sua vida. Hoje tem um tecto, um trabalho e a sua dignidade de volta. Quando Giovanni conheceu por acaso o rapaz que enviou o email que abriu um novo rumo à sua vida, disse-lhe: "Um dia, quando voltar a ser homem, convido-te para jantar". Hoje foi o dia. E o meu amigo Mauro, o tal rapaz que enviou o email, está neste momento em Milão a celebrar o resultado do seu gesto de bondade. E eu cheia de orgulho e de alegria pela sorte que tenho em encontrar pessoas como ele no meu caminho.

2 comentários:

  1. O Mauro já tinha boa cotação comigo, até pela história do gato cego, mas com esta história está no topo :) Fazem falta ao mundo mais pessoas assim.

    ResponderEliminar