Uma direcção. As horas a passar. O nascer-do-sol. Uma árvore frondosa. Um sorriso espontâneo. Uma janela aberta para ver o mundo girar.
Não só ver. Participar. Contribuir. Girar com ele. Porque o mundo não pára e a vida também não.

A direction. The sunrise over the ocean. A leafy tree. A spontaneous smile. An open window to see the world turning. Not just see.
To participate. To contribute. To turn in the same direction. Because the world keeps turning and so does life.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

2 semanas e meia...

... até parece o título de um filme, mas neste caso é só a contagem do tempo que estou em Itália. Com todas as novidades e confusões destas semanas, parece que já passou um mês!

Já começo a organizar-me melhor e a orientar os meus dias consoante as diversas actividades que quero experimentar e as pessoas com quem quero estar. O tempo parece acompanhar a minha mudança, em duas semanas já noto a diferença na duração do dia e saio do trabalho ao pôr-do-sol, escondido atrás das montanhas e a pintar um céu azul raiado de laranja. Para melhorar este cenário, à saída do JRC, uma desconhecida aproxima-se de mim e pergunta-me se quero uma boleia para casa. Eu sorrio e agradeço abertamente mas acabo por recusar, moro a 5 minutos de distância. Mas antes disso vou experimentar o meu Bancomat (cartão multibanco), faço o primeiro movimento bancário da minha história na Italia e sigo caminho.

Quando estamos longe de tudo o que conhecemos, todas estas pequenas coisas fazem a diferença, podendo tornar o dia mais ou menos memorável. Daqui a uns anos, quando estiver a balouçar na minha cadeira de verga, hei-de contar todas estas histórias aos meus sobrinhos e netos, hei-de contar-lhes como construí o meu castelo com as "pedras" que foram aparecendo no meu caminho (citando Fernando Pessoa).

À noite, fui experimentar a aula de danças latinas e vejo-me numa sala com mais homens que mulheres... estranho, em Portugal isto nunca aconteceu... mais um pouco e estou numa roda de pares a dançar ao som de comandos vocalizados pelo professor, dos quais neste momento só me lembro do passo 71. Sou mulher, tenho a vantagem de ser conduzida... mas apesar disso sei que troquei muitas voltas, tenho muito treino pela frente. Haja vontade, e essa depende só de mim.

2 comentários:

  1. Olá Índia linda!

    Fartei-me de rir com estes teus "pensamentos": são autênticas crónicas de viagem, de quem tem uma necessidade inata de viver a descobrir!
    Admiro imenso a tua forma de descrever o que vês e o que sentes.
    E eu cá te vou sempre "acompanhando" nesse teu percurso, com imensa Ternura!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada João! Estas experiencias valem bem mais a pena quando as podemos partilhar.

    Baci

    ResponderEliminar